Humildes rimas beijadas de orgulho pelas nossas gentes

Da fruta ao campo se foi colher
Tempos mais jovens se recordaram
Sentem-se na sua aldeia felizes no seu viver
Sorrisos nos seus rostos transbordaram 

Recordam-se dias de mocidade
Passados a trabalhar no campo de sol a sol
Hoje todos são sábios de idade
Para os mais jovens nos dias são farol 


Saiu-se do aconchego do lar
De sorriso nos lábios se foi ao pomar 
Da fruta para comer se foi apanhar
E respirar da charneca da aldeia puro ar
São de si orgulhosos, são gentes humildes
Pela charneca sempre colheram o seu sustento
Da sua aldeia bem conhecem os seus arrabaldes
Onde outrora trabalharam, hoje sentem divertimento

São jovens idosos que o lar habitam
Utentes da nossa Associação
Admiração a todos nos suscitam 
Pela nobreza que lhes brota do coração
Chegar a idoso um privilégio por Deus dado 
Uma longevidade que se chega em este caminhar
Todo o idoso seja  a cada dia abençoado 
Que cada um de nós os saibamos acarinhar

Um tão gostoso privilégio meu e jubiloso
Aos menos jovens da minha aldeia eu rimar
Um prazer dialogar com cada idoso
Utente e não utente do nosso lar


José Fernandes

This entry was posted in Cantinho do Zé. Bookmark the permalink.