Aos idosos da minha terra


( fotos; idosos do lar de São José da Lamarosa / Coruche
)
Se Deus me conceder a bênção 
de chegar a essa tão bonita idade
feliz e sentida será a minha afeição
na gratidão da minha longevidade

Privilégio um dia ser idoso com palpitar

de coração que em jovem se sentia
a caminhada continua a ser um deleitar
a vida sempre uma salutar poesia

Que o meu rosto vá enrugando,
os meus cabelos caindo e branqueando
na graça de Deus eu por cá vá andando
que o meu coração sempre vá amando


E tu vida que se até aqui me trouxeres
não me deixes andar saudoso de juventude
o meu caminhar por vezes pode ser agreste
mas estar vivo será uma sentida virtude


Em criança desejava rapidamente crescer
Em adulto desejo sonhar como menininho
hoje desejo dias e dias viver
ter o privilégio de chegar a "velhinho"


Desejo um dia vir a ser um, como os meus
apenas e tão só, um feliz idoso
"desconhecido" mas muito amado pelos seus
com tamanho coração sempre generoso


Aqui o cantinho do Zé humildemente a rimar
a todos da minha aldeia que idosos o são
Gosto tanto de no lar os visitar
e ser beijado pelo seu brotar do coração


Todos vós sois para nós declamada poesia,
orgulho da nossa e vossa amada aldeia
Sois para todos no viver do nosso dia a dia
lufada de amor que o coração nos incendeia


Um forte e sentido abraço
às minhas gentes

This entry was posted in Cantinho do Zé. Bookmark the permalink.